Hidráulica residencial: tudo o que você precisa saber | Triider

Entenda como planejar a instalação hidráulica residencial, veja algumas dicas rápidas para economizar na conta de água e saiba como identificar problemas hidráulicos

Não é segredo para ninguém que a instalação hidráulica residencial é uma das partes mais importantes da obra. Afinal, o projeto hidráulico é o responsável por comandar todo o abastecimento de água da residência e, sendo assim, até mesmo o menor dos erros pode se tornar um grave problema no futuro.

Por isso, todo cuidado é pouco no momento de fazer as instalações. Contar com mão de obra especializada e investir em materiais de qualidade são apenas alguns dos requisitos básicos para um projeto hidráulico bem-sucedido.

Porém, ainda existe uma série de coisas que você precisa saber sobre o assunto. Que profissionais contratar? Que tipo de material é o mais indicado? Como evitar vazamentos? Como fazer a manutenção do sistema?

Neste post, você encontrará as respostas para todas essas perguntas e garantirá uma instalação hidráulica segura e correta para a sua casa. Tudo isso com agilidade na prestação do serviço e sem estresse ou prejuízo. Acompanhe!

Estruturando o sistema hidráulico residencial

Tudo começa com a caixa d’água, que é a primeira coisa a se considerar na estruturação do sistema hidráulico de uma residência. A caixa deve ser instalada no ponto mais alto da casa, a fim de evitar problemas no abastecimento dos cômodos.

Caso a arquitetura do projeto não permita a instalação no ponto mais alto, saiba que a distância mínima da caixa d’água em relação ao chuveiro deve ser de pelo menos 1,20 m, garantindo a pressão suficiente.

A parir daí, é necessário fazer as conexões da caixa para que a tubulação conduza a água do hidrômetro até o reservatório. Na saída de água, instalam-se a boia e o registro, além de outra saída para limpeza.

Muitas instalações utilizam uma única saída de água, mas é possível fazer duas ou até três ligações conforme o padrão da residência — uma somente para a descarga e outra para o chuveiro, por exemplo. Tudo vai depender das funcionalidades que você quer para o seu projeto hidráulico.

Quem planeja?

Antes de começar a execução da obra em si, é obrigatório fazer o mapeamento do projeto. Até porque é esse mapeamento que vai guiar as instalações para que não seja preciso nenhum tipo de retrabalho depois.

Imagine a dor de cabeça e o prejuízo financeiro que você teria ao fazer toda a instalação hidráulica residencial e só depois perceber que o posicionamento das louças sanitárias não ficou do jeito que você pensou? Pois é! Por isso, para evitar que você tenha que refazer a instalação por completo, é fundamental ter o mapeamento exato de todas as ligações hidráulicas do sistema.

Esse mapeamento — de função análoga à planta arquitetônica — denomina-se planta hidráulica. Ela deve ser planejada por um profissional habilitado para desempenhar o serviço de forma correta, segura e funcional, como o engenheiro responsável pela obra.

Esse profissional analisará o perfil da residência e, a partir de então, definirá onde deverão ser instalados os canos de entrada de água na casa até sua saída para as devidas funcionalidades: vaso sanitário, torneiras, chuveiros etc.

Onde posso consultar o projeto hidráulico da minha casa?

Como já adiantamos, o projeto hidráulico da residência fica registrado na planta hidráulica, que deverá mostrar o mapeamento de todo o conjunto das ramificações do encanamento e os respectivos lugares por onde os canos estão passando, com seus tamanhos delimitados e outros detalhes pertinentes.

O principal ponto de uma planta hidráulica é a demarcação da saída de água da caixa ou daquela vinda diretamente da rua. Essa saída precisa estar acima de todo o encanamento, favorecendo a pressão para que a água chegue sem problemas a todos os pontos da casa.

Quem constrói a parte hidráulica?

Passada a fase do planejamento da planta hidráulica, é chegada a hora de executar a obra. Nesse momento, entra em cena o bombeiro hidráulico, também conhecido como encanador.

A função desse profissional contempla basicamente dois momentos principais: o primeiro deles é aquele de passar os canos, deixando os pontos de abertura no chão e na parede. Depois disso, o encanador interrompe o serviço para que o pedreiro instale alguns acabamentos — como pisos e azulejos — ou até que o pintor entre em ação.

Feito o acabamento, aí sim o encanador volta para desempenhar o segundo momento de sua função: instalar os vasos sanitários, lavatórios, pias, torneiras, misturadores, entre outras peças do projeto em questão.

É imprescindível respeitar essa fase do acabamento para só então instalar as louças. Caso contrário, você estará correndo o sério risco de os pedreiros ou pintores estragarem as peças durante a pintura ou colocação dos pisos e azulejos. Afinal, fica mesmo difícil trabalhar nos acabamentos caso as louças hidráulicas já tenham sido instaladas, certo?

Como fazer manutenção hidráulica residencial?

Não há como escapar: todas as instalações residenciais necessitam de manutenções regulares. Com o projeto hidráulico, não seria diferente. Nesse caso, o tempo médio de manutenção do sistema costuma variar entre 10 e 15 anos. Quanto mais antiga for a instalação, maior a chance de ela necessitar de reparos.

Tipos de manutenção

Para evitar transtornos e gastos maiores, são recomendadas manutenções periódicas anuais — vistoria, pequenos reparos, troca de componentes, correção de vazamentos etc. — a fim de identificar eventuais falhas que possam trazer problemas mais graves no futuro. É dessas manutenções que falaremos a seguir:

Preventiva

Como o próprio nome indica, a manutenção preventiva é realizada mesmo quando não há danos aparentes no projeto. Ela serve justamente para investigar possíveis falhas no sistema hidráulico e corrigi-las antes de se agravarem.

Segundo as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), as manutenções preventivas servem para localizar e reparar todo e qualquer problema que não possa ser negligenciado em uma instalação, sob o risco de causar acidentes. Por isso, o ideal é que seja realizada com frequência anual.

Preditiva

Esse tipo de manutenção vem sendo bastante procurado e está relacionado aos projetos de automação residencial. Trata-se de um compilado de ações que controlam as instalações da residência por meio de ferramentas tecnológicas, a fim de prever prováveis erros no sistema. Assim, assegura-se o rendimento máximo da instalação e o grau mínimo de ocorrência de falhas operacionais.

Corretiva

O serviço de manutenção corretiva consiste em realizar os consertos ou reparos dos componentes que já se desgastaram pela ação do tempo. Esse tipo de manutenção também poderá ser necessário caso ocorra algum imprevisto que possa ter comprometido algum componente do sistema hidráulico.

Tipos de materiais para sistema hidráulico

A escolha dos materiais para a instalação hidráulica residencial demanda muita atenção e alguns critérios específicos. Para você ter uma ideia, cada parte do projeto hidráulico precisa de uma tubulação diferente: o chuveiro pede um tipo de cano específico, enquanto o vaso sanitário demanda outro, assim como a pia da cozinha também, e por aí vai.

Por isso, é preciso estar bastante atento no momento da compra. Além do mais, a qualidade de cada material também deve ser priorizada, pensando no custo-benefício das instalações. Afinal, de nada adianta comprar materiais de qualidade inferior e sofrer com vazamentos depois, concorda?

Quanto ao tamanho exato dos canos, considere este sistema básico de planta hidráulica residencial: serão necessários dois canos de tamanhos diferentes — um deles para o vaso sanitário com descarga, de 1 e ½ polegada de diâmetro; e outro para todo o restante da casa, com ¾ polegadas de diâmetro. Na terminação de cada cano de ¾ polegada, deverá ser instalado um redutor para torneiras, de ½ polegada.

Nas principais saídas do sistema hidráulico, instala-se um registro intermediário, que tem por função auxiliar na manutenção das instalações. Por exemplo, na troca da borracha da torneira ou nos reparos na válvula da descarga.

Resistência da tubulação

Esse item merece ainda mais cuidado porque sua função é crucial para o funcionamento do sistema hidráulico. Podemos dizer que a tubulação é o coração do projeto hidráulico, pois direciona todo o abastecimento da residência. Ou seja: não basta saber quais canos você precisa comprar. É imprescindível que eles tenham qualidade o suficiente para não causar danos futuros às instalações.

Portanto, ressaltamos não só necessidade de comprar peças de marcas reconhecidas no segmento, mas também, a obrigatoriedade de contratar profissionais especializados para realizar a instalação. Com esses cuidados básicos, você garante a funcionalidade ideal do sistema e uma vida útil considerável para o seu projeto hidráulico.

Tubulação de metal ou PVC

Canos de pvc

Embora as tubulações de PVC tenham vida útil estimada em mais de 50 anos, seu uso no Brasil só passou a ser recorrente em meados dos anos 1970. Por isso, em projetos hidráulicos mais antigos, é muito comum encontrar tubulações de metal.

Quanto às características de cada material, é essencial saber que os tubos de PVC apresentam menor resistência à temperatura. Eles conseguem transportar líquidos de até no máximo 20° C. Ou seja, se você deseja escoar água quente na sua casa, precisará optar pela tubulação de metal — em cobre ou PPR (Polipropileno Copolímero Random).

É importante ressaltar também que, caso as tubulações do sistema hidráulico fiquem expostas, elas apresentarão menor durabilidade, independentemente do material escolhido, já que a ação dos raios ultravioleta é implacável para a vida útil dos materiais.

Para além da tubulação, considere também que todas as torneiras da casa vão precisar de um sifão — de PVC ou de metal — para escoamento da água. A opção pelo PVC ou pelo metal vai depender mais de uma escolha pessoal do dono da casa ou das indicações do engenheiro responsável pelo projeto hidráulico.

No entanto, saiba que qualquer um dos dois materiais atende aos requisitos necessários para uma instalação bem-sucedida, desde que sejam de qualidade. Isso significa que, caso você escolha o sifão de PVC, deve priorizar aqueles de plástico mais resistente. Assim, você evita que se quebrem com facilidade, provocando vazamentos e dando trabalho para reinstalar.

Torneiras certas

Pia e cuba de banheiro

Novamente, o padrão do material falará mais alto. Portanto, antes de sair comprando todas as torneiras da sua casa — cozinha, banheiros, área de serviço etc. —, saiba que é muito importante escolher peças de primeira linha, pois isso vai impactar diretamente a durabilidade e estabilidade da instalação hidráulica residencial.

Além disso, para você ter certeza de que a funcionalidade das torneiras não será comprometida, alguns aspectos devem ser considerados. Uma torneira ideal precisa apresentar boa resistência à pressão, deve fechar com facilidade e ter fluxo de água adequado conforme sua função.

Tipos de mão de obra

Engenheiros e encanadores são os dois profissionais básicos que você deve considerar no momento de contratar a mão de obra para o seu projeto hidráulico residencial. Normalmente, o engenheiro responsável pela obra é quem desenha e gerencia a planta hidráulica. O encanador, por sua vez, é quem “coloca a mão na massa”, intercalando sua atividade com os serviços de acabamentos realizados pelos pedreiros, como salientamos anteriormente.

Vimos também que é imprescindível que esses profissionais sejam devidamente competentes e habilitados para desempenhar a função com qualidade e segurança na reforma ou construção. Nesse sentido, uma boa dica é solicitar uma vistoria sanitária no momento de finalização da obra.

Como isso funciona? É bem simples: assim que a instalações hidráulicas da sua casa estiverem finalizadas, você pode entrar em contato com a empresa responsável pelo abastecimento de água na sua cidade e solicitar uma vistoria geral.

Peça, por exemplo, para que os responsáveis verifiquem a existência de eventuais vazamentos na rede externa próxima à sua residência e se os registros estão funcionando corretamente, assim como se a pressão e o fluxo da água estão ideais. Desse modo, caso encontrem alguma falha, ainda haverá tempo para corrigir antes do término da obra.

Porém, mesmo com a obra finalizada, poderão surgir imprevistos como vazamentos, infiltrações, entre outros problemas típicos relacionados à manutenção do sistema hidráulico. Caso isso aconteça, você deverá recorrer a um encanador, que é o profissional mais indicado para solucionar a questão.

Nessas horas, utilize a tecnologia a seu favor e conte com um aplicativo de serviços como o Triider, que reúne os melhores profissionais do mercado na prestação de reparos residenciais, como consertos hidráulicos, instalação e manutenção de equipamentos, montagem e desmontagem de móveis, entre tantas outras atividades. Assim, você resolve seu problema de forma rápida, prática e eficiente.

Como identificar algum vazamento

Cano com vazamento de água no banheiro

Sem dúvidas, contar com a ajuda de profissionais especializados é o melhor caminho. Afinal, eles conseguem detectar quaisquer sinais de problemas, mesmo que os alertas sejam imperceptíveis para uma pessoa comum.

Porém, alguns sinais são tão clássicos que você mesmo pode aprender a identificá-los, como os temidos vazamentos. Saber onde estão as falhas no sistema agiliza mais ainda o processo de reparo quando o prestador de serviço estiver na sua casa para solucionar o problema.

Basta um teste simples para que você consiga identificar se há ou não algum vazamento no sistema hidráulico. Comece fechando as saídas de água e observe o medidor. Se o ponteiro parar, significa que não há vazamentos. Mas, caso o ponteiro continue girando, existe um problema. Aí sim é hora de contratar o encanador.

Para identificar problemas na tubulação — aqueles que não deixam sinais visíveis nas paredes — o teste será outro. Se a sua residência for abastecida pela caixa d’água, você deverá fechar todas as torneiras, desligar os aparelhos que utilizam água e não usar os sanitários nesse momento. Depois, feche a torneira da boia da caixa e marque o nível de água que ficou presente nela. Passada uma hora, se esse nível baixar, significa que há falhas no sistema.

Caso os canos sejam alimentados diretamente pela rede, você deverá fechar o registro localizado na parede, abrir uma torneira alimentada por ele — que normalmente é a do tanque — e esperar a água parar de sair. Nessa hora, pegue um copo cheio de água e coloque na boca da torneira. Se o líquido for sugado, é sinal de vazamento.

Se você deseja encontrar o local exato do problema, faça o teste da batida na parede. Mas, para dar certo, é necessário que você saiba por onde os canos estão passando. Dê leves batidas em toda a extensão do encanamento, observando se o som é diferente em alguma parte do sistema. Ruídos anormais indicam possíveis vazamentos.

Quanto ao vaso sanitário, existe um teste simples e muito eficaz para detectar problemas na válvula da descarga. Basta jogar um pouco de borra de café dentro do vaso. Se ela não ficar depositada no fundo da bacia, quer dizer que existe vazamento no sistema hidráulico.

Há ainda outros sinais clássicos de vazamentos ou infiltrações que são fáceis de identificar e que jamais devem ser negligenciados, sob o risco de agravar o problema futuramente.

São eles: manchas no teto ou nas paredes, presença de mofo ou formação de poças d’água em qualquer ponto da residência. Desprendimento de azulejos ou alteração nas cores dos revestimentos também podem ser fortes indícios de problemas na instalação hidráulica.

Outras dicas de hidráulica residencial

Se você acompanhou a leitura até aqui, provavelmente já compreendeu praticamente tudo o que precisa saber sobre instalação hidráulica residencial. No entanto, separamos mais 13 dicas importantes para você manter o funcionamento ideal do sistema e prolongar a vida útil das instalações. Confira!

  1. Se a intenção é economizar no projeto hidráulico, considere projetar a cozinha, os banheiros e a área de serviço próximos uns dos outros. Assim, você utilizará menos canos e conexões;

  2. Se você vai fazer uma reforma hidráulica e a instalação é muito antiga, aproveite o momento para substituir a tubulação de ferro pela de PVC, principalmente se já estiver notando presença de ferrugem na água;

  3. Instale um registro por ambiente onde houver pontos de água. Dessa forma, se acontecer algum problema, você poderá fechar apenas o registro do cômodo em questão, sem comprometer o abastecimento do restante da casa;

  4. Utilize o mínimo de conexões possível. Elas diminuem a pressão da água, podendo criar pontos de acúmulo que culminam em vazamentos. Peça ajuda ao engenheiro ou encanador responsável para certificar-se sobre a real necessidade das conexões em questão;

  5. Quando for comprar os tubos e as conexões, escolhas peças do mesmo fabricante. Assim, você evita que haja folga entre as peças e encaixes mal feitos ou até mesmo incompatíveis. E lembre-se: todos os fabricantes devem oferecer a garantia das peças;

  6. Para os materiais hidráulicos não se danificarem durante a obra, guarde os tubos sempre na posição horizontal. As conexões devem ser guardadas em caixas ou sacos. E nunca deixe os materiais expostos ao sol;

  7. Sempre confira as medidas. O vaso sanitário, por exemplo, precisa ter pelo menos 20 cm livres em cada lateral. Além disso, o espaço ideal de abertura da porta também deve ser considerado. Acredite: esses erros são mais comuns do que você imagina!

  8. Teste cada instalação antes de fechar a parede ou fazer o contrapiso. Desse modo, caso algo não funcione adequadamente, você evita o retrabalho de quebrar tudo para fazer os reparos;

  9. Antes de fazer o reboco, desenhe ou fotografe as instalações para ter certeza de onde estão passando os canos. Assim, você elimina aquele problema típico de furar acidentalmente o encanamento na hora de instalar armários, espelhos, saboneteiras etc. Ter a planta hidráulica residencial em mãos também ajuda muito nessas situações;

  10. Observe o caimento do piso onde houver ralos. Ele deve apresentar um leve caimento para favorecer o escoamento da água para o ralo. Isso agiliza a limpeza doméstica e, principalmente, previne acúmulos que poderiam gerar infiltrações;

  11. Faça uma limpeza periódica nos ralos internos da casa para remover as sujeiras acumuladas. Quanto aos ralos externos (pluviais), deve-se conferir regularmente a possibilidade de entupimento por conta de raízes de árvores que adentram pelas fissuras. Nesses casos, será necessário chamar o encanador;

  12. Nunca jogue materiais impróprios dentro dos vasos sanitários, pias e ralos da residência. Essa é uma medida simples, porém muito eficaz na prevenção da vida útil do sistema;

  13. Prefira vasos com caixa acoplada, que são aquelas instaladas diretamente sobre a bacia sanitária. Essas opções são mais sustentáveis, pois reduzem consideravelmente o consumo de água. Descargas de válvula chegam a gastar até 14 litros de água por acionamento, enquanto a descarga da caixa acoplada gasta apenas 6 litros.

Por último, mas não menos importante: tenha sempre em mãos o contato de um encanador competente e de sua confiança, que pode ser facilmente encontrado em aplicativos de prestação de serviço. Assim, você garante que tanto a instalação quanto a manutenção do sistema hidráulico serão bem-sucedidas.

Pronto! Agora sim você sabe tudo o que precisa fazer para uma instalação hidráulica residencial segura e de qualidade. E o melhor: sem prejuízos, estresse ou atraso na obra.

Gostou deste conteúdo e quer ficar por dentro de outras dicas de manutenção e prestação de serviços? Então, não deixe de assinar a nossa newsletter!

3 Comments

  1. Dicas ótimas mas melhor mesmo é contratar um arquiteto e garantir máxima qualidade na obra!

    • Adriana Dall'Agnol - Triider Reply

      Claro, Lucas! O ideal mesmo é contar com os dois profissionais – um responsável pelo projeto e outro responsável pela execução da obra, não é mesmo?! Abraço!

Escreva um comentário