Arquitetura de criação de Landing Page no Triider e o poder de SEO

Conheça a estratégia utilizada pelo Triider para estar bem posicionado nas ferramentas de busca e para entregar uma experiência relevante ao usuário. Confira neste artigo tudo sobre criação de Landing Page e a nossa estratégia de SEO.

Que o Triider é uma plataforma de serviços que conecta clientes a profissionais, presente em sete cidades brasileiras com mais de 50 serviços, é provável que você já saiba. Mas o que nos faz ganhar relevância na internet, e quais estratégias adotamos para estar bem posicionados nas ferramentas de busca talvez ainda seja novidade. Pois é exatamente sobre isso que vamos falar neste artigo: criação de landing page e SEO.

Site e criação de landing page

Originalmente, o Triider nasceu como um app, em 2016. Na época, havia também um site, porém exclusivamente institucional, com o objetivo de direcionar as pessoas para baixarem o aplicativo. Foi somente em 2018, que passamos a disponibilizar na web as mesmas funcionalidades do app. A ideia era que o usuário conseguisse fazer todo o fluxo até a contratação do serviço, pagamento e avaliação pelo site.

Hoje, o site do Triider é estruturado da seguinte forma: uma página principal, que é o domínio (www.triider.com.br), com informações sobre a empresa, e para cada um dos 50 serviços que oferecemos há uma página específica. Essas páginas são chamadas de landing pages. E nós vamos falar sobre a criação de landing page.

O objetivo principal disso é que cada uma dessas páginas seja bem ranqueada nas ferramentas busca. “Se alguém digitar ‘eletricista’ no Google vai cair na página de eletricista do Triider”, explica Paulo Gil, Chief Technology Officer (CTO) e co-fundador do Triider.

Para completar, além de páginas por categoria de serviços, também foram criadas landing pages por cidade. Ou seja, existe a página “eletricista Porto Alegre”, “eletricista Belo Horizonte” e assim por diante para cada localidade onde o Triider está presente. “Toda a nossa estratégia está voltada para responder àquilo que as pessoas pesquisam no Google. Se há pesquisas por ‘eletricista Porto Alegre’, então uma página que tenha exatamente esse termo será melhor ranqueada do que uma que tenha só eletricista”, acrescenta.

Gerador de landing pages: centenas de páginas em um segundo

Se multiplicarmos o número de categorias de serviços que o Triider oferece pela quantidade de cidades em que estamos presente chegaremos a centenas de landing pages. E isso pode ser um problema, principalmente quando há a necessidade de fazer alguma alteração de conteúdo dessas páginas. “Para cada mudança que precisava ser feita, nós tínhamos que ter um desenvolvedor que ficasse ali mexendo uma por uma dessas cerca de 200 páginas que existiam”, lembra Gil.

Foi a partir dessa demanda que tivemos a ideia de desenvolver o nosso próprio gerador de páginas. Trata-se de um template padrão e, a partir dele, é possível gerar automaticamente todas as páginas. “Conseguimos gerar centenas de páginas em um segundo e colocar elas no ar”, revela.

Toda essa estrutura roda na nuvem, na AWS, utilizando as ferramentas e linguagens mais modernas que se tem no mercado, como Javascript, Node, React.

Design e usabilidade

Desde que decidimos lançar o site como um canal a mais para a realização dos pedidos, sempre fomos orientados pelo design, pela pesquisa, testes com usuários e métricas. “Desde os primeiros protótipos a gente ia para rua testar com usuários para ver se o conteúdo, botões, menus, textos estavam entendíveis para que os as pessoas pudessem, de fato, escolher o serviço, falar com o profissional, fazer o pedido e pagar; além de atender aqueles que queriam apenas para conhecer o Triider”, conta Matheus Link, UX e Desenvolvedor Front-End.

Responsável pela criação de landing page – por desenhar as páginas e criar os códigos, Matheus Link explica que o Triider se orienta fundamentalmente por dois grupos: usabilidade, ou seja, “que seja totalmente acessível, para que as pessoas possam bater o olho e saberem o que fazer, onde conversar com o profissional, como pagar, como adicionar cartão de crédito, onde pedir o serviço, etc”, e indexação do site do Triider nas plataformas de buscas. Para isso, reforça, “além de ser relevante para o usuário, o conteúdo também precisa ser identificado pelos mecanismos de busca, para nos indexar nas melhores colocações”.

Nesses dois anos em que o site do Triider passou por reformulações, estamos trabalhando cada vez mais na evolução das páginas para que elas estejam sempre orientadas pelo design. “Hoje, sabemos da importância de atualizar as páginas, estar por dentro de padrões de usabilidade, fazer testes com as interfaces que estão no ar e coletar feedbacks. Assim como muda a tecnologia, as pessoas acabam mudando a forma de consumir conteúdo também. Então, pode ser que o que a gente tinha projetado dois anos atrás não faça mais sentido hoje, ou esteja faltando conteúdo. Por isso, trata-se de um trabalho rotineiro, que a gente precisa estar sempre monitorando e testando”, ressalta Link.

Teste AB

Para mudanças grandes que envolvam layout, reposicionamento, recategorização, novas áreas, realizamos uma bateria de testes para validar a tomada de decisão. Lançamos duas ou três versões de uma mesma página para uma análise baseada em métricas como conversão (no nosso caso, pedido de orçamento), taxa de permanência no site e taxa de retenção. Isso se chama “teste AB”, que significa criar uma hipótese para testar suas variáveis. Esses testes são feitos de forma automatizada.

Nós publicamos as páginas e dividimos o tráfego entre elas – 50% para uma versão e 50% para outra versão. “Isso embasa todas as decisões que a gente toma perante a layout, linha editorial, informações, cores, posicionamento de conteúdo na página. Nosso objetivo é ter sempre um embasamento factual e não trabalhar com achismos ou gostos pessoais. Estamos sempre orientados a partir informações dos usuários”, destaca.

Outro aspecto considerado nas análises é o mapa de calor. Sabemos quais são áreas do site que o usuário está dando mais atenção e, a partir do monitoramento dos cliques dos usuários conseguimos entregar um produto fácil de usar e que, de fato, seja o que o usuário está procurando.

Marketing orgânico

Isso tudo é ou está relacionado com as práticas de SEO, que vão desde as áreas de desenvolvimento até a criação de conteúdo para que o site seja bem posicionado no Google. “Search Engine Optimization é um conjunto de técnicas para trazer usuários para o nosso site, para conhecer o nosso negócio ou gerar conversão, sem que a gente pague por isso. Ou seja, é uma maneira orgânica de fazer marketing”, explica Adriana Dall’Agnol, Head of Marketing do Triider.

Sempre que há a necessidade de colocar uma página nova no ar, o time de Comunicação e Marketing faz a pesquisa de palavras-chaves. “Analisamos nas ferramentas qual é o volume para aquele termo”, conta. O objetivo é procurar a palavra que tem maior volume de busca e entender qual é a intenção do usuário com aquela pesquisa.

Depois de definir a palavra-chave, inicia o trabalho de geração de conteúdo, inserindo o termo escolhido em alguns locais estratégicos do site. A intenção é dizer para o Google que aquela palavra-chave representa a página em questão. “Eu preciso gerar um conteúdo escaneável para o robô do Google entender que a minha página está coerente com a palavra-chave que eu escolhi, e que vamos entregar um resultado esperado pelo o usuário visitante”, detalha Adriana.

A partir daí, existe uma série de locais dentro do site em que a palavra-chave precisa ser explorada, seja na URL, no H1, no texto. “O meu objetivo é que o usuário entre nessa página, permaneça durante algum tempo e interaja com ela. Dessa forma, percebemos que a usabilidade está correta e que o conteúdo da página é relevante”, continua Adriana.

Outra estratégia utilizada é a aquisição de backlinks. Isso porque, no momento em que um site com autoridade coloca um link em sua página para o site do Triider, ele transfere autoridade. “Uma boa analogia e de fácil entendimento é quando lemos um artigo em que um médico referencia outro profissional. Qualquer especialista que indique outro está fazendo uma chancela. É exatamente isso que acontece, só que através de algorítmos e a leitura de um robô”, compara Adriana.

Com esses cuidados, queremos gerar um conteúdo com uma leitura fácil tanto para o usuário, quanto para o Google, de forma que ambos identifiquem que a página está cumprindo o seu papel. Isso faz com que o nosso site ocupe uma boa posição na página de busca do Google. “Queremos que qualquer usuário que entre em nosso site encontre uma informação qualificada para aquilo que está buscando – a criação de landing page no Triider é totalmente orientada à experiência do usuário”, conclui Adriana.

Escreva um comentário